Você, de fato, não vai querer fazer o papel da tristeza

Por: Andresa Rocha sexta-feira, abril 15, 2016

É horrível carregar um sentimento que ninguém entende e você tampouco consegue explicar, nem para si mesmo. Pior ainda é a sensação de estar nessa sozinho, não ter ajuda alguma, nem daqueles que supostamente estão ao seu lado. Contar um ou outro problema às pessoas parece algo natural, todos têm momentos difíceis na vida, certo? A coisa muda totalmente quando você só tem problemas e lamúrias para compartilhar, e começa a se sentir um fardo no meio dos amigos e da família.

Por mais que digam que amizade é isso, algo como estar lá “na alegria e na tristeza”, quase um acordo matrimonial, você, de fato, não vai querer fazer o papel da tristeza. Ninguém quer. Afinal, com a felicidade, o riso, as notícias boas, todos sabem lidar perfeitamente; do contrário, solte uma bomba e veja quantos saberão reagir a ela. Consigo contar nos dedos e ainda sobram alguns.


Você decide se afastar, pois não sabe lidar com a própria dor e nem quer que alguém se sinta na obrigação de aprender a conviver com ela, quando você mesmo não aguenta carregar o fardo. Sua paciência não é mais a mesma, qualquer besteira é motivo para tempestades em copos d’água, e a dor dos outros não é nada comparada a sua. E não é mesmo, pois só quem entende, ou sente, sua dor é você mesmo, mais ninguém. Não meço o tamanho da sua angústia, e você também não consegue medir a minha. Lide com isso.

Se sair funcionasse, nem deveria ter entrado nesse estado caótico em que se encontra minha vida, pois de obrigações na rua tenho de sobra. E daí que rotina não conta? Encontrar pessoas felizes, cheias de assuntos que você não dá à mínima e piadas que não fazem mais sentido algum, não ajuda também.

Você será o rabugento da turma, o estraga prazeres, e se sentirá ainda pior que se tivesse permanecido no refúgio do seu lar, pois terá ainda mais certeza que o lugar ao qual você fazia parte não te inclui mais. Irá constatar o fim, uma vez que suposições se tornam sufocantes ao virarem fatos confirmados e, se possível, a sensação de estar no fundo do poço triplicará.

Coloca um sorriso no rosto, dizem, mas qual o sentido dele se soará falso? Você quer ter a sensação mentirosa de que está me alegrando com palavras otimistas, certo? De que não falhou na missão de tentar fazer a rabugenta se animar, sim, porque isso virou meta de vida. Eu estar dessa forma não tem nada a ver com motivos externos, apenas acordei assim e pronto, é o que você deve pensar.

Amanheci nos últimos quatros anos com o mesmo vazio, mas, bem, acontece com todos, não é mesmo? Normal.

Hoje você nem teve motivo, ué = exato.

É uma fase, vai passar = o “quando” é uma palavra infeliz e temida, se concentre no “passar”, pois vai que passa mesmo, né. Tomara.

Tudo é somente frescura da minha parte. Quem não gosta de sentir dor, não é mesmo? No meio de tantas pessoas normais, cada um tem sua forma de chamar a atenção, e faço isso me sabotando.
Sorrio.

É engraçado as mil desculpas que as pessoas têm para encarar e tentar explicar o que sinto, quando simplesmente não podem aceitar que isso não é normal, algo do acaso ou que vai passar se eu fizer tal coisa. Não deixa de ser um problema sério só porque não é uma doença infectocontagiosa. Não deve ser ignorada por ser silenciosa. Aliás, até quando é silencioso? Qual o grau de normalidade do silêncio? Quem nada tem a dizer, muito tem a falar.

Espero sinceramente que você seja a alegria da tristeza. Senão, meu amigo, você está muito ferrado.


8 comentários

  1. Ual, me identifiquei totalmente com esse texto... Estou passando por isso :/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei se me sinto triste por você ou egoísta por saber que não estou só nessa... Vamos dar a volta por cima, nonie, é só não desistir!

      Excluir
  2. Sei como é, Dezza ): Minha melhor amiga parece ser a única que percebe. Ela diz que preciso de ajuda, que se guardar tudo desse jeito... vou explodir. E ela provavelmente está certa, e o pior é que também se sente assim, mas desconta no próprio corpo. Eu não consigo ajudar a mim mesma, como posso ajudar ela?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Às vezes outras pessoas até percebem, mas por não saberem o que fazer, fingem que não notaram nada. Sim, se você não buscar ajuda ou um modo de superar isso, vai explodir mesmo e, sério, não se deixe chegar nesse ponto! É difícil ajudar alguém quando você mesma não está bem, então busque tratamento por você e por ela, sabe? Você só conseguirá lançar pensamentos positivos para sua amiga quando estiver pensando desse modo para você mesma, e ela ao ver que você está melhorando, vai querer se tratar também. O primeiro passo nós temos que dar, o resto vem com o tempo, dedicação e muita, mas muita força de vontade da nossa parte.

      Excluir
  3. Me identifiquei totalmente²

    Você disse tudo Dezza. Sei bem como é se sentir assim... Sabe: "Às vezes eu me sinto sozinha e sinto como se ninguém se importasse comigo. Às vezes eu sinto que eu estou na escuridão e ninguém pode me ver..." ás vezes é mais fácil se isolar porque ninguém parece entender a gente e fingir que tá tudo bem só faz doer ainda mais. Mas todos falam sobre "não ter motivos" ou "ser só uma fase" e isso não muda em nada. Às vezes eu quero falar, mas não quero ser um peso na vida de ninguém, além de já ser um peso em minha própria vida. Só resta então tentar ser forte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que nos resta é aproveitar aqueles raros momentos em que nos sentimos bem e usá-los para sair dessa da melhor forma possível. Continuar assim é que não rola!

      Excluir

Obrigada por comentar! Você será respondido em breve.