Você troca de endereço, mas você, como pessoa, não se muda

Por: Andresa Rocha quinta-feira, setembro 24, 2015


É terrível não se reconhecer mais. Olhar as coisas que antes traziam felicidade extrema e hoje não significarem nada. Acompanhar as conversas de amigos e notar que não tem ânimo para se manifestar, os assuntos não interessam mais, e o pior, se achar deslocado no meio de pessoas que antes era seu tudo.

Encaro meu reflexo no espelho. Depois de um longo e fadigado “não aguento mais”, observo a estranha que me fita de volta e tento encontrar resquícios da velha eu naquela garota. Talvez, se encará-la o suficiente, ela me liberte dessa carceragem psicológica. Quanto custa a fiança? Quando será o julgamento?


A condenação ocorreu e só notei no momento em que as coisas se tornaram uma caixa sem saída. Sei que a mesma pessoa que fui nunca mais serei, todos evoluímos no final das contas. A que sou hoje, espero que seja somente uma fase, embora tenha se passado longos cinco anos. O tempo biológico da vida não é contado da mesma forma que o nosso, meros mortais, certo?

Tenho medo de me afastar, ainda que seja minha maior vontade. Não me sinto bem com essas pessoas e elas parecem ignorar meu pedido silencioso de ajuda, presas nos próprios problemas, ocupadas demais para me notar. Há um alguém que continua ao meu lado, mas ainda que pareça querer segurar o mundo para mim, esse alguém é somente um ser humano, tem seus limites. Queria de coração que o alguém fosse suficiente, em reconhecimento aos seus esforços. Infelizmente, as coisas não são tão fáceis assim.

Isolar-me é o mesmo que ditar meu fim. A confusão mental e carência de atenção faz parte do que sinto, brinca com meus sentimentos e me deixa sem chão. A ideia se torna mais forte quando me analiso nos períodos em que estou “bem”, e não tenho esse tipo de pensamento, que me faz querer sumir de todos.

Faço metas e listas, tento mudar todos os dias e, sem menos esperar, faço tudo errado novamente e quebro qualquer promessa feita anteriormente. Decido que não posso me garantir para amanhã apenas porque fiquei “bem” hoje. A caminhada é gradativa, um dia por vez, o saldo zerado a cada nova manhã.

Mais uma vez, esqueço-me do acordo e volto a fazer planos para a próxima semana, quando o agora é o milésimo de segundo em que escrevo esse texto. Por que me custa tanto ser constante na vida?
Tenho vontade de recomeçar em um lugar bem longe daqui. Simplesmente esquecer o passado, quem fui e, principalmente, quem me tornei. Li um livro que me fez refletir por horas, ele dizia algo mais ou menos assim:

“Se você não consegue mudar as coisas ao seu redor, qual garantia terá que conseguirá mudar algo em outro lugar? Talvez o problema não seja o local, e sim você.”

Você troca de endereço, mas você, como pessoa, não se muda. Os problemas podem até não serem os mesmos, mas novos virão. E então, você mudará de casa novamente?

Espero não descobrir isso na prática.


13 comentários

  1. LIndo texto, espero que seja apenas ficção.. rsrsrs mas quem nunca neh? Quem nunca se olhou e não se reconheceu de volta! Desistir não é fácil e insistir menos ainda. Sim, vc poderá mudar de lugar, mas não mudará vc. A questão não é mudar a casa, é redecorar o interior! Amei!!! E vou seguir!!! Amo ler, Amo escrever, Amo essa coisa linda que a gente faz!

    Se quiser vir conhecer o meu interior, esteja a vontade!
    www.acheiaspalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Queria eu que fosse ficção. :(( Sim, você primeiro precisa mudar dentro de você e depois mudar de atmosfera, senão qualquer lugar que for você irá poluir com sua energia pessimista. Muito obrigada, escrever é libertador. <3

      Excluir
  2. Parabéns pela escrita, me lembrou muito quando eu costumava desabafar no papel e no bloco de notas. Os textos são um grande ufa para a vida. Eu não me reconheci muitas vezes, sabe. Não vou dizer que agora me reconheço e sei quem sou porque seria besteira, mas comecei a aceitar mais as mudanças e vozes interiores. Quanto ao endereço, acho que trocar faz bem sim :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada! Quando as pessoas não estão preparadas para o que a gente tem a dizer, precisamos encontrar outro modo de pôr essa coisa para fora. Fico feliz que você tenha superado sua confusão interior, acho que ninguém de fato se conhece, mas se aceitar é algo fundamental para a paz de espírito. Será mesmo? São tantas dúvidas, tantos "e se"...

      Excluir
  3. Gostei muito do texto Andresa, talvez porque esteja passando por algo assim... Não tem o que dizer! Mas é sempre bom desabafar, mesmo que seja no papel. Ando pensando em fazer algo assim tbm... rs
    Boa sorte! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz por você ter gostado, Ligia! Experimente sim, vai se sentir bem mais leve depois. Obrigada, igualmente para você. :)

      Excluir
  4. Lindo texto,super me identifiquei com você,parabéns.
    www.conectmoon.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, moça! Se precisar desabafar estou por aqui.

      Excluir
  5. Parabéns pelo texto incrivel! Me identifiquei muito e essa frase reflixiva também me fez refletir. Mais uma vez, parabéns!

    garotaveneta.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, moça! Compartilhe comigo se chegar a alguma conclusão, hahaha.

      Excluir
  6. Encontrei esse post por acaso e amei! Já faz algum tempinho que queria botar pra fora tudo que eu tenho sentido, mas não sabia como. Você conseguiu me definir todinha aí, como se o texto fosse pra mim. Você escreve muito bem! <3

    Bjs,
    Laila.
    www.escritoriando.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Laila! E bem-vinda ao meu blog. <3 É reconfortante encontrar pessoas que pensam como nós, pena que não estamos em nosso melhor momento. :( Beijão!

      Excluir
  7. Parabéns pelo texto Dezza! Eu sei bem como é se sentir assim... Trocar de endereço deve fazer bem, eu tenho vontade de mudar, ir para um lugar novo, talvez no fundo a ideia seja de me isolar, mas acredito que as coisas seriam diferentes. Aqui de qualquer forma eu não tenho ninguém, e infelizmente alguém não é o suficiente, porque eu mesma não sou...

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar! Você será respondido em breve.